O Binario Cloud Backup oferece aos nossos clientes backups multinível, que podem ser feitos a nível de imagem, volume, arquivo e até mesmo aplicação, graças aos plugins disponíveis nas nossas ferramentas.

Veja algumas indicações de uso de cada nível, a seguir.

Backup a nível de imagem

É o backup de todos os elementos que compõem uma máquina em produção (seja ela virtual, bare metal ou física):

  • Sistema Operacional (Windows, Linux, etc)

  • Aplicações (Office, Adobe, etc)

  • Arquivos (dados salvos na máquina)

Basicamente, o backup a nível de imagem permite que você realize backups de toda a máquina. Com isso, a restauração da infraestrutura é muito mais rápida e fácil, sem que seja necessário subir, configurar e organizar os ativos de um servidor do zero. Basta acionar a recuperação da máquina e pronto!

Além disso, o Binario Cloud Backup permite que você faça a restauração de forma granular. Por exemplo: caso você queira recuperar apenas as aplicações e arquivos backupeados em um volume específico da máquina, isso será possível com o backup a nível de imagem. Ou então, se precisar recuperar um diretório excluído por engano, isso também será possível com o backup a nível de imagem.

Prós:

  • Snapshot completo da máquina virtual

  • Restauração ágil e simplificada

  • Capacidade de setar a consistência das aplicações nos backups para garantir a integridade das informações

Contras:

  • Consumo de capacidade de armazenamento

Backup a nível de volume

Outra possibilidade é configurar backups a nível de volume. Neste caso, pensando na hierarquia dos itens que compõem uma máquina, estamos falando apenas dos volumes de disco presentes na mesma (por exemplo, o C:). Com essa estratégia, é possível escolher o volume que será backupeado, dessa forma, todos os arquivos dentro do mesmo estarão protegidos.

Prós:

  • Otimização no uso de armazenamento

Contras:

  • Caso haja necessidade de restaurar toda a máquina, esse nível de backup não proporcionará o melhor resultado

Backup a nível de arquivo

Basicamente, o backup a nível de arquivo consiste em programar backups de diretórios nas máquinas, por exemplo o C:\documentos. Assim, tudo que está dentro do diretório é protegido pelo backup.

Virtualmente, no backup a nível de arquivo estamos versionando os mesmos, criando pontos de restauração dentro da máquina.

Prós:

  • Alta granularidade

  • Otimização no uso de armazenamento

  • Capacidade de criar pontos de restauração mais precisos

Contras:

  • Restauração mais lenta

  • Caso haja necessidade de restaurar toda a máquina, esse nível de backup não proporcionará o melhor resultado

Backup a nível de aplicação

Com o Binario Cloud Backup, é possível instalar um plugin que faz backup apenas do que é necessário dentro de uma aplicação, por exemplo o MySQL.

Prós:

  • Cópia e restauração apenas de dados que sejam do interesse da organização

Contras:

  • Não é possível restaurar toda a base de dados caso seja feito o backup de apenas uma segmentação de dados dentro do sistema

Backup de estado do sistema (ou máquina)

Consiste em um backup de informações críticas de registro e identidade de máquinas (sejam elas virtuais, bare metal ou físicas). Alguns dos itens incluídos no backup do estado do sistema são:

  • Arquivos de inicialização

  • Registro do sistema

  • Banco de dados COM +

  • Serviços de Certificados

  • Diretório ativo

  • SysVol

  • Metabase do IIS

Com esse nível de backup, é possível recuperar o registro ou domínio de aplicações, por exemplo o Active Directory, de servidores restaurados, bem como de sites do IIS. Com isso, torna-se possível fazer o Disaster Recovery de sistemas após quebra.

Prós:

  • Alto nível de eficiência para a restauração de Windows Server no modo de restauração dos serviços de diretório

  • Capacidade de incluir ou excluir arquivos de inicialização protegidos pelo sistema

Contras:

  • Pode apresentar problemas caso a restauração do servidor seja feita em hardware diferente

Melhores práticas para escolher o nível de backup

Em geral, as melhores práticas para escolher o nível de backup indicam que não se deve optar por apenas um nível de backup.

O mais indicado é que sua estratégia inclua o uso de backup a nível de imagem de todos os servidores ou ao menos dos mais críticos, pois esse nível encapsula todos os itens que compõem a máquina.

Junto ao backup a nível de máquina, também recomendamos rodar o backup de estado do sistema, principalmente se sua organização utiliza máquinas Windows.

Além do mais, as melhores práticas continuam a ser:

  • Estruturar um plano de backup consistente de acordo com os objetivos de negócio

  • Escolher níveis de backup que façam sentido para atingir o RPO e RTO necessário, de acordo com o plano de backup

Por isso, caso um dos objetivos da sua organização seja economizar espaço de armazenamento com backups, uma boa opção é considerar o backup a nível de volume ou a nível de arquivo de servidores menos críticos para a operação.

Chegamos ao fim do nosso artigo e se você quer saber como criar um plano de backup eficiente para a sua empresa, sugiro que confira nosso infográfico.

Encontrou sua resposta?